Publicidade

Cherish the Dress

15 de agosto de 2012

A Adelita, da Paraná Noivas, mandou um post informativo pra gente sobre o “Cherish the Dress”, e a gente adorou! Saibam um pouco mais de onde veio esse termo para dar nome a uma sessão de fotos que veio em contraposição à famosa “Trash the Dress”.

 

“O Cherish the dress, foi criado pelo grandioso fotógrafo Chris Hanley, na intenção de inovar e valorizar o vestido tão estimado para o grande dia.

Chris Hanley costumava fazer o famoso “Trash the dress“, mas já não vinha gostando do resultado negativo que tinha com algumas noivas e principalmente com algumas mães das noivas que não gostavam nada, nada, ver os vestidos caríssimos de suas filhas sendo molhados e “gastos”.

A partir daí, veio a ideia do “Cherish the drees“, uma sessão que envolvia cuidar, e não destruir o vestido, uma sessão de fotos em que a noiva também pudesse se divertir, mas sem ter que pular, correr e se jogar na água.

O termo “Cherish the dress” significa “Apreciar o vestido”, que vem da palavra cherish que significa zelo, cuidado, estimo.
Chris Hanley  seguiu um padrão de qualidade de luz nas fotos, sem abusar de flashs e aproveitando ao máximo a luz ambiente, buscou parcerias com locais glamurosos para fazer as fotos de suas clientes, como hotéis, spas, etc.
Geralmente as sessões do “Cherish the dress” são feitas após o casamento e com os trajes originais utilizados no grande dia.

Confiram algumas belíssimas fotos de Cherish the dress, por Chris Hanley:”

E você? O que acha de fazer uma sessão CHERISH THE DRESS em vez de TRASH THE DRESS?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

por
6 Comentários

6 Comentários

  1. Sabrina Mix disse:

    Oi, Myriam!

    Acho que eu consegui equilibrar bem o Cherish e o Trash no nosso ensaio pós-casamento. Como amo muito meu vestido, só aceitei molhá-lo ou andar com ele na areia, que não suja muito.

    Confira nossas fotos aqui.

    Beijos e sucesso!!!

  2. Bacana esse post! Na verdade, o trash the dress aqui no Brasil nunca pegou de verdade. Algumas poucas noivas topavam se molhar e se sujar pra valer. Mas na grande maioria, as famosas “fotos externas” após o casamento já constituem o cherish the dress. Fotos bonitas que valorizam o vestido, sem destruir nem sujar. Acho mais bacana ainda quando as fotos são feitas somente com a noiva! Aí sim, o cherish the dress fica perfeito! Sempre sugiro para minhas noivas… Adorei o post.

  3. Aída Valadão disse:

    Tudo bem que ás vezes agente fica com dó de sujar, molhar ou estragar o vestido. Mas convenhamos que um ensaio de trash the drees é super divertido e as fotos saem do convencional. Claro que se a noiva optou por um aluguel, ela corre o risco de arcar com os possíveis defeitos. Mas se a oportunidade de comprar o vestido é plausível, nada melhor do que fugir pra uma cachoeira, praia ou mesmo um parque ecológico e se jogar na brincadeira! Esse ensaio foi um dos primeiros da minha lista. Ja ta garantido!

  4. Claudia disse:

    Tambem acho que as fotos externas feitas no Brasil sao um Cherish the Dress, que nao sao comuns na Europa/EUA. Mas particularmente amo o Trash the Dress. Qual a possibilidade de se usar o vestido novamente? Vender eh dificil, geralmente passa-se metade do valor gasto e tem a dificuldade de se arrumar uma noiva com o mesmo corpo, pode levar meses. Tenho amigas que pagaram 10 mil no vestido e venderam por 3 mil porque os vestidos foram feitos especialmente para elas e nao encontravam outras noivas com o corpo parecido. Eu ainda nao sei em quanto ficara o meu vestido (comecei a olhar neste mes) mas sei que farei um Trash assim que voltar de lua de mel.

  5. Jefferson Ramos disse:

    é legal, mas quando não existia Trash the Dress, ja eram feitas fotos como essas. Sempre falo o seguinte; com tantas “alterações” nos tipos de fotos hj em dia, quando alguem faz uma foto mais “comum”, ela se torna diferente e encantadora.


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *



Design por Casa2 | Creative Design & Happy Ideas - Wordpress por André Beltrame
© 2018 - Casando em BH - by Bel Ornelas - Todos os direitos reservados